topo

Download Free Templates http://bigtheme.net/ Websites Templates

As unhas são estruturas queratinizadas que localizam-se na porção distal dos dedos das mãos e pés. Ao contrário dos cabelos que têm fases de crescimento e fases de repouso, as unhas crescem ininterruptamente. A velocidade média de crescimento é de 1cm a cada 3 meses para as unhas da mão e metade desta velocidade para as unhas do pé.

Devido ao crescimento contínuo, as unhas são extremamente sensíveis a alterações hormonais, nutricionais ou qualquer doença sistêmica. As queixas mais freqüentes que envolvem as unhas são:

  • Unhas frágeis: Qualquer situação em que o estado nutricional, hormonal ou estado de saúde geral da pessoa esteja alterado, pode se refletir nas unhas gerando fragilidade. Fatores externos também podem ter relação com o quadro, como excesso de produtos químicos (principalmente esmaltes e bases) e molhar as unhas com freqüência.
  • Descolamento da unha (onicólise): Onicólise é o descolamento de toda a unha do leito ungueal. Várias são as causas: doenças próprias da unha (psoríase, líquen plano), micoses, alergia a remédios. Porém, a principal causa é o trauma. Seja o trauma repetitivo por uso de calçados apertados, trauma agudo, e mais comumente, trauma pela limpeza excessiva feita pela própria pessoa ou por manicures ou podólogos.
  • Onicomicose (micose da unha): A onicomicose é uma infecção que atinge as unhas, causada por fungos. As unhas mais comumente afetadas são as dos pés, pois o ambiente úmido, escuro e aquecido, encontrado dentro dos sapatos e tênis, favorece o seu crescimento. Além disso, a queratina, substância que forma as unhas, é o “alimento” dos fungos.
  • Unha encravada: Ocorre quando uma de suas pontas encrava na pele ao seu redor. Isto ocorre porque a pele forma uma barreira ao seu crescimento e, como a unha não pára de crescer e é mais dura, a perfura causando dor e inflamação. A causa é, geralmente, o hábito errado de se cortar os cantos das unhas. Isto causa a formação de uma espícula na ponta cortada e permite que, com o peso do corpo, a pele que antes estava embaixo da unha, se projete para cima e entre na frente da mesma. Ao crescer, a unha encrava neste local. O uso de sapatos de pontas finas também facilita o encravamento das unhas. Em crianças recém-nascidas, o uso de macacões com pés fechados também podem ocasionar o problema se não forem bem folgados. Os dedos mais atingidos são os dos pés, principalmente os “dedões” e as unhas encravam quase sempre pelos cantos. O quadro se inicia com dor local que vai aumentando de intensidade e pode se tornar insuportável. A pele ao redor da unha fica inflamada, inchada e avermelhada, podendo haver eliminação de pus. A prevenção consiste no corte correto das unhas (unhas com bordas reta) e em se evitar o uso de calçados apertados.